Rápidas do Pinga Fogo (05/10)

POLITICAGEM

Vergonhosamente à eleição para o Conselho Tutelar do município de Felipe Guerra/RN, realizada no último domingo (04), foi palco de pura politicagem.

Tão logo foram divulgados os nomes dos 22 candidatos às 5 (cinco) vagas do Conselho, o ex-prefeito Braz Costa, um dos principais líderes do grupo político de Oposição na cidade, resolveu tentar tirar proveito da situação, anunciando em rede social seus 5 (cinco) candidatos. A partir disto, demais lideranças e cabos eleitorais daquele grupo caíram em campo, transformando a disputa num embate entre Oposição e Situação.

OPOSIÇÃO X SITUAÇÃO

No campo da politicagem em que se deu o enfrentamento, entre os grupos Oposição e Situação, da política local, o cenário não poderia ser mais favorável a Oposição. Dos 22 candidatos apenas 5 (cinco) foram identificados como opositores, enquanto os demais 17 (dezessete) são situacionistas.

Podendo votar em 5 (cinco), se fez possível a Oposição formar uma chapa casadinha, nela inserindo seus 5 (cinco) candidatos. Enquanto isto, a Situação, provocada a reagir, teve que desdobrar-se para amparar seus 17 (dezessete) candidatos, o que dariam simplesmente 3 (três) chapas casadinhas diferentes, sobrando 2 (dois) candidatos, sendo ainda possível milhares de combinações de nomes.

A Oposição simplesmente não precisou dividir seus votos. Já a Situação teve que fazer um verdadeiro rateio.

À MOBILIZAÇÃO

Parecia mesmo uma eleição para prefeito e vereadores. A Oposição muito bem mobilizada, transporte, água, lanche e até uns trocados para seus eleitores. Na garganta de cada liderança e de cada cabo eleitoral da Oposição, um grito entalado. Todos querendo gritar: “Estamos vivos!”.

Pelo lado da Situação o desafio caiu sobre os ombros da primeira-dama e secretária municipal, Dra. Girlene Ferreira. Para ajudá-la, não apareceram os vereadores aliados, nem os demais secretários, nem o prefeito. Mas, diga-se de passagem, a mulher encarou com muita garra.

A OPOSIÇÃO PERDEU

Apesar de todo um cenário favorável, de uma mobilização incomparável, a oposição perdeu.

Tomo como base o fato de como se deu à disputa entre os 22 candidatos, divididos em dois grupos, de acordo com suas posições político-partidárias, onde 17 (dezessete) foram identificados como Situação e apenas 5 (cinco) foram identificados como Oposição.

Dado o cenário acima descrito, apenas 2 (duas) situações podem servir de parâmetros para uma análise, meramente sazonal, porém incontestável.

1ª – Geniza x Mazinho

O principal objetivo de ambos os grupos obviamente era fazer o cabeça de chapa.

Nesta situação tivemos...

Geniza 887 x 753 Mazinho – Maioria de 134 para a Situação.

2ª – 5 x 5

Diante do fato de que a Oposição só tinha 5 (cinco) candidatos e a Situação tinha 17 (dezessete), é preciso elegermos um critério o qual permita-nos igualar os quadros na disputa. Desta forma, nenhum outro critério vem a ser tão lógico o quanto o 5 x 5, ou seja, confrontarmos a soma dos votos dos 5 candidatos mais votados entre os 17 da Situação, com a soma dos votos dos 5 candidatos da Oposição.

Nesta situação tivemos...

Mais votados da Situação:

Geniza – 887 votos

Maickon – 664 votos

Silas Pascoal – 616 votos

Mikael Morais – 361 votos

Fabinho Leite – 357 votos

Total: 2.885 votos

Votação dos 5 da Oposição:

Mazinho – 753 votos

Josepe – 679 votos

Maspolly – 623 votos

Luzirene – 415 votos

Thiago Pereira – 294 votos

Total: 2.764 votos

Logo 2.885 – 2.764 = 121 votos de maioria para a Situação.

O resultado da análise é que, diante das 2 (duas) únicas situações existentes que permitem uma análise lógica, a Oposição saiu inegavelmente derrotada em ambas.

Quanto ao fato da Oposição ter elegido 3 (três) e a Situação 2 (dois) para um total de 5 (cinco) vagas, esta situação não serve de parâmetro, pois, diante do embate desigual, onde a Oposição pode concentrar seus votos em apenas 5 (cinco) candidatos, enquanto a Situação teve que dividir seus votos com 17 (dezessete) candidatos, se a Oposição tivesse eleito todos os seus cinco, ainda assim seria um resultado lógico e normal, diante do cenário em que se deu a disputa.

Registre-se ainda que, na Oposição, em termos de favoritismo para ser o “cabeça de chapa”, durante a campanha Maspolly Morais chegou a superar o candidato mais votado daquele grupo, Mazinho, no entanto Maspolly elegeu-se ocupando a última vaga, com apenas 7 (sete) votos de diferença em relação à Silas Pascoal, 6° colocado.

OS MAIS PREJUDICADOS

Diante de um resultado fortemente influenciado pela politicagem local, os mais prejudicados são sem duvidas o município de Felipe Guerra e a sociedade felipense, especialmente nossas crianças e adolescentes. Continuaremos a ter um Conselho Tutelar inoperante, ocupado, em sua maioria, por pessoas omissas e incompetentes, que lá estão e lá continuarão, simplesmente pelo salário.

SOLIDARIZO-ME

Com aqueles que verdadeiramente mostraram-se preparados, dispostos a fazer a diferença, os quais colocaram seus nomes a disposição da sociedade, pensando participar de uma disputa limpa e justa, mas que, no entanto, infelizmente, foram lesadas e atropeladas, numa disputa imoral, por interesses escusos, de pessoas indecentes desta sociedade que prefere seguir vivenciando e alimentando a politicagem.
Rápidas do Pinga Fogo (05/10) Rápidas do Pinga Fogo (05/10) Reviewed by Erinaldo Silva on 13:47:00 Rating: 5